DROSERA
Espécies SUL-AMERICANAS


O gênero Drosera
pigméias
tuberosas
tropicais australianas
do complexo petiolaris
sul-africanas
sul-americanas
complexo cayennensis
complexo chrysolepis
complexo communis
complexo hirtella
complexo montana
complexo villosa
outras - ao norte do Amazonas
ao sul do Amazonas
dispersas
híbridos naturais
as demais



ESPÉCIES

>  D. brevifolia   brasileira

Encontrada na costa sudeste (de São Paulo até o Uruguai). É uma anual.

D. brevifolia
Cultivada, Fernando
Vários espécimes agrupados.
(Ago/1992)
FRL

D. brevifolia
Palmeira, PR
Um espécime em vias de florescer.
(Abr/1995)
FRL

D. brevifolia
Vila Velha, PR
(Abr/1995)
FRL

>  D. capillaris   brasileira

Encontrada na costa sudeste (de São Paulo até o Uruguai). Suas flores são da cor rosa claro. Parente próxima da D. esmeraldae.

D. capillaris
Cultivada, Linilson
(Dez/1997)
LRP

D. capillaris
Bertioga, SP
(Nov/1998)
MAKF

D. capillaris
Bertioga, SP
(Nov/1998)
MAKF

D. capillaris
Mongaguá, SP
FRL

D. capillaris
Mongaguá, SP
FRL

>  D. sp. "Cipó"   brasileira (endêmica !)

D. sp. "Cipó"
Serra do Cipó
(Jun/1996)
LRP

D. sp. "Cipó"
Serra do Cipó
(Fev/1996)
FRL

D. sp. "Cipó"
Serra do Cipó
(Fev/1996)
FRL

D. sp. "Cipó"
Serra do Cipó
(Fev/1996)
FRL

D. sp. "Cipó"
Serra do Cipó
(Fev/1996)
FRL

D. sp. "Cipó"
Serra do Cipó
(Fev/1996)
FRL

D. sp. "Cipó"
Serra do Cipó
(Fev/1996)
FRL

D. sp. "Cipó"
Serra do Cipó
(Fev/1997)
FRL

D. sp. "Cipó"
Serra do Cipó
Espécime com haste floral.
(Jun/1996)
LRP

D. sp. "Cipó"
Serra do Cipó
(Jun/1996)
LRP

D. sp. "Cipó"
Serra do Cipó
Habitat
(Jun/1996)
LRP

D. chrysolepis e D. sp. "Cipó"
Serra do Cipó (a da direita)
Comparada com a D. chrysolepis (à esquerda).
(Fev/1996)
FRL

>  D. sp. "Emas"   brasileira (endêmica !)

Encontrada nas regiões ao sul da bacia Amazônica, normalmente junto à D. communis. Sua aparência lembra, vagamente, a pigméia D. scorpioides. A haste floral alcança até 28cm de altura, as folhas são estreitas e alongadas, e as flores são de cor variável (aparentemente resultado de diferentes fatores ambientais): do branco ao rosa claro ao lilás.

D. sp. "Emas"
Parque Nacional das Emas
(Jul/1991)
FRL

D. sp. "Emas"
Cajurú, SP
(Abr/1995)
FRL

D. sp. "Emas"
Serra da Canastra
(Abr/1999)
FRL

D. sp. "Emas"
Grão-Mogol, MG
(Set/1994)
FRL

D. sp. "Emas"
Grão-Mogol, MG
Close de uma flor.
(Set/1994)
FRL

D. sp. "Emas"
Itacambira, MG
(Dez/1994)
FRL

D. sp. "Emas"
Itacambira, MG
(Dez/1994)
FRL

D. sp. "Emas"
Itacambira, MG
(Jul/1999)
FRL

D. sp. "Emas"
Itacambira, MG
Close do centro da roseta.
(Mar/1997)
FRL

D. sp. "Emas"
Itacambira, MG
Close de uma folha.
(Mar/1997)
FRL

D. sp. "Emas" e D. montana var. tomentosa X D. sp. "Emas"
Itacambira, MG
Crescendo junto à D. montana var. tomentosa X D. sp. "Emas".
(Mar/1997)
FRL

D. sp. "Emas" e D. montana var. tomentosa X D. sp. "Emas"

Itacambira, MG (em cima)
Crescendo junto à D. montana var. tomentosa X D. sp. "Emas" (abaixo).
(Mar/1997)

FRL

D. graminifolia e D. sp. "Emas"
Itacambira, MG
Crescendo junto à D. graminifolia.
(Mar/1997)
FRL

D. sp. "Emas" e D. communis
Diamantina, MG (a da esquerda)
Crescendo junto com a D. communis (à direita).
(Jul/1999)
FRL

D. sp. "Emas" e D. communis
Diamantina, MG
Crescendo junto com a D. communis.
(Jul/1999)
FRL

>  D. sp. "Emas gigante peluda"   brasileira (endêmica !)

D. sp. "Emas gigante peluda"
Catolés, BA
(Jul/1995)
FRL

>  D. graminifolia   brasileira (endêmica !)

Nativa do estado de Minas Gerais, existem basicamente três formas diferentes. A forma da Serra do Caraça, tipo, floresce no verão, (época das chuvas), em março, e às vezes alguns espécimes também em setembro, mas sempre uma floração muito rápida. As duas outras formas possuem períodos de floração mais longo, e podem ser encontradas em flor quase o ano inteiro, embora seja mais comum vê-las com flores no final do inverno (época da seca) e início da primavera. Uma destas duas formas ocorre na região de Diamantina, a outra, de maior tamanho, ocorre mais ao norte, entre as cidades de Grão-Mogol, Botumirim e Itacambira.

D. graminifolia
Serra do Caraça
(Set/1992)
FRL

D. graminifolia
Serra do Caraça
(Mar/1992)
FRL

D. graminifolia
Serra do Caraça
(Set/1999)
FRL

D. graminifolia
Serra do Caraça
(Fev/1996)
FRL

D. graminifolia
Serra do Caraça
(Fev/1996)
FRL

D. graminifolia
Serra do Caraça
(Mar/1992)
FRL

D. graminifolia
Diamantina, MG
(Fev/1999)
MAKF

D. graminifolia
Diamantina, MG
Close do topo da haste floral.
(Jul/1999)
FRL

D. graminifolia

Diamantina, MG
Close frontal de uma flor. Note (nos botões de flor) como as sépalas são de um vermelho bastante intenso.
(Jul/1995)

FRL

D. graminifolia

Diamantina, MG
O casulo da foto é de uma lagarta parasita que às vezes ataca esta e a D. graomogolensis.
(Fev/1997)

FRL

D. graminifolia

Diamantina, MG
Agora a lagarta parasita propriamente dita.
(Fev/1997)

FRL

D. graminifolia
Itacambira, MG
Um campo de plantas desta espécie.
(Jul/1999)
FRL

D. graminifolia
Itacambira, MG
(Mar/1997)
FRL

D. graminifolia
Itacambira, MG
Crescendo como uma aquática.
(Mar/1997)
FRL

D. graminifolia
Grão-Mogol, MG
(Out/1995)
FRL

D. graminifolia
Itacambira, MG
Um espécime de grande tamanho.
(Jul/1999)
FRL

D. graminifolia
Itacambira, MG
(Mar/1997)
FRL

D. graminifolia
Grão-Mogol, MG
(Set/1994)
FRL

D. graminifolia

Grão-Mogol, MG
Um espécime que sofreu com uma queimada na época de seca.
(Out/1995)

FRL

D. graminifolia
Grão-Mogol, MG
A folha, enquanto se desenvolve, permanece enrolada.
(Out/1995)
FRL

D. graminifolia
Itacambira, MG
(Mar/1997)
FRL

D. graminifolia
Grão-Mogol, MG
Close das flores.
(Set/1994)
FRL

D. graminifolia

Grão-Mogol, MG
Close frontal de uma flor branca, um acontecimento extremamente raro, visto apenas em uma localidade em plantas que não eram albinas (pois possuíam pigmentação vermelha).
(Set/1994)

FRL

D. graminifolia e D. sp. "Emas"
Itacambira, MG
Crescendo junto à D. sp. "Emas".
(Mar/1997)
FRL

D. graminifolia e D. montana var. tomentosa
Itacambira, MG
Crescendo junto à D. montana var. tomentosa.
(Mar/1997)
FRL

D. graminifolia e D. sp. "Congonhas"
Itacambira, MG
Crescendo junto à D. sp. "Congonhas".
(Dez/1994)
FRL

>  D. uniflora

Natural do sul do Chile, sul da Argentina e Ilhas Malvinas, trata-se de espécie rara e pouco conhecida.

D. uniflora

Espécime coletado para herbário. Original de Mirador, Deserto do Atacama, Chile
(???/1997)

FRL

D. uniflora

Espécime coletado para herbário. Original de Mirador, Deserto do Atacama, Chile
(???/1997)

FRL