UTRICULARIA
Seção UTRICULARIA



O gênero Utricularia
Aranella
Australes
Avesicaria
Avesicarioides
Benjaminia
Calpidisca
Candollea
Chelidon
Choristothecae
Enskide
Foliosa
Iperua
Kamienskia
Lecticula
Lloydia
Martinia
Meionula
Mirabiles
Nelipus
Nigrescentes
Oligocista
Oliveria
Orchidioides
Pleiochasia
Phyllaria
Polypompholyx
Psyllosperma
Setiscapella
Sprucea
Steyermarkia
Stomoisia
Stylotheca
Tridentaria
Utricularia
Vesiculina



ESPÉCIES

>  U. aurea

U. aurea
Índia
Habitat
(Out/1998)
FRL

U. aurea
Índia
(Out/1998)
FRL

>  U. australis

>  U. benjaminiana   brasileira

>  U. biovularioides   brasileira (endêmica !)

É a menor de todas as espécies de Utricularia, além da menor angiosperma (planta com flor) do mundo em peso. De tão pequena, passava desapercebida dos olhos dos botânicos, e portanto era conhecida de apenas duas localidades. Provavelmente é bem mais comum do que se imagina, já tendo sido encontrada a mais na Chapada dos Guimarães e na Chapada dos Veadeiros.

Cultivo: essa planta parece gostar de nascentes com muitas gramíneas, onde a água flui sempre devagar sobre o solo brejoso.

U. biovularioides
Chapada dos Veadeiros
(Abr/1995)
FRL

U. biovularioides
Chapada dos Veadeiros
Note como esta espécie é por demais pequena.
(Abr/1995)
FRL

U. biovularioides

Chapada dos Veadeiros
Close extremo da planta. Note que as armadilhas são avermelhadas.
(Abr/1995)

FRL

>  U. bremii

>  U. breviscapa   brasileira

Possui "flutuadores", órgãos foliares na haste floral que são constituídos por um tecido esponjoso cheio de ar. Estes flutuadores servem para dar sustentação à haste floral, segurando-a acima da água, ao alcance dos polinizadores.

U. breviscapa
Arinos, MG
(Abr/1999)
FRL

U. breviscapa, U. hydrocarpa e U. gibba
Baía Bonita - Pantanal
Crescendo junto à U. hydrocarpa e à U. gibba
(Jul/1992)
FRL

>  U. cymbantha

>  U. dimorphantha

>  U. floridana

>  U. foliosa   brasileira

É uma aquática flutuante, nativa de uma vasta região que vai do sul dos EUA até o sul da América do Sul, além da África. É a mais comum do mundo, junto com a U. gibba.

U. foliosa
Suzano, SP
(Mar/1995)
FRL

U. foliosa
Mogi das Cruzes, SP
(Mar/1999)
FRL

U. foliosa
Suzano, SP
LRP

U. foliosa
Mogi das Cruzes, SP
(Mar/1999)
FRL

U. foliosa
Suzano, SP
(Mar/1995)
FRL

U. foliosa
Suzano, SP
(Mar/1995)
FRL

U. foliosa

Suzano, SP
Close da porção vegetativa da planta. Repare nas armadilhas.
(Mar/1995)

FRL

U. foliosa
Cultivada, Marcelo
(Abr/1998)
MAKF

>  U. geminiscapa

>  U. gibba   brasileira

Espécie aquática, é a mais comum do mundo, junto com a U. foliosa. Forma flores amarelas com finas veias vermelhas na base do labelo inferior.

U. gibba
Cultivada, Marcelo
Close de uma flor
(Abr/1998)
MAKF

U. gibba
Baía Bonita - Pantanal
(Jul/1992)
FRL

U. breviscapa, U. hydrocarpa e U. gibba
Baía Bonita - Pantanal
Crescendo junto à U. breviscapa e à U. hydrocarpa
(Jul/1992)
FRL

>  U. hydrocarpa   brasileira

É a única espécie desta seção que possui flores róseas.

U. hydrocarpa
Jataí, GO
(Mai/1999)
FRL

U. hydrocarpa
Jataí, GO
Close lateral de uma flor.
(Mai/1999)
FRL

U. breviscapa, U. hydrocarpa e U. gibba
Baía Bonita - Pantanal
Crescendo junto à U. breviscapa e à U. gibba
(Jul/1992)
FRL

>  U. incisa

>  U. inflata

>  U. inflexa

>  U. intermedia

>  U. macrorhiza

>  U. minor

>  U. muelleri

>  U. naviculata   brasileira

>  U. ochroleuca

>  U. olivacea   brasileira

A segunda menor espécie do gênero, perde apenas para a U. biovularioides, contra a qual também é bem mais comum e amplamente distribuída.

U. olivacea
Diamantina, MG
(Mar/1997)
FRL

U. olivacea
Diamantina, MG
(Fev/1996)
FRL

>  U. perversa

>  U. platensis   brasileira

>  U. poconensis   brasileira

>  U. punctata

>  U. radiata

>  U. raynalii

>  U. reflexa

>  U. stellaris

>  U. striata

>  U. vulgaris

>  U. warmingii   brasileira